Filho a caminho? Planeje trocar seu imóvel por um maior!

Tempo de leitura: 5 minutos

A chegada de um filho é sempre acompanhada de muita emoção e de experiências que enriquecem a vida. A escolha do nome, do enxoval e o preparo do quarto do bebê, entre tantas coisas únicas, reforçam o sentimento de que a criança que está chegando trará ainda mais alegria à família.

E com a família ficando maior, surge também a necessidade de trocar o imóvel por outro que ofereça mais espaço e conforto ao novo bebê, ao casal e aos outros filhos que já chegaram ou estão por vir.

Se você tem um bebê à bordo ou está se planejando para isso, veja nossas dicas para trocar seu imóvel por um maior!

Planejamento na hora de trocar imóvel

Um bom planejamento é a base para o sucesso em qualquer instância da vida. Ele é ainda mais necessário na hora de trocar imóvel, uma vez que estamos tratando de um bem de alto valor, com capacidade para interferir diretamente na qualidade de vida da família.

Por isso, não deixe de planejar cuidadosamente cada etapa do processo de troca. Comece fazendo uma avaliação da situação do orçamento familiar para, em seguida, focar no novo imóvel a ser adquirindo. Por fim, pense na necessidade de vender o imóvel que você ocupa atualmente ou na possibilidade de alugá-lo para ter uma renda extra.

Levantamento financeiro

Para ter uma ideia precisa da sua atual situação financeira, você deve considerar o quanto tem em economias e confrontar a renda familiar com as despesas mensais da família. Assim, você entenderá o quanto pode dar de entrada no novo imóvel e também o valor das parcelas de financiamento que poderá assumir, se houver necessidade.

Se as suas economias forem suficientes para fazer a compra à vista, sem a necessidade de venda do imóvel atual, sua situação é excelente. Caso contrário, procure entender qual é o atual orçamento familiar.

Para tanto, crie uma planilha, como se fosse um livro de caixa que tenha três colunas. Na primeira, anote as fontes de renda ou de despesas, especificando claramente cada uma delas. Anote os valores das rendas na segunda coluna e, na terceira, os gastos que você tem com a família.

O objetivo é obter o saldo que resta das receitas após a dedução das despesas. O ideal é que esse saldo seja positivo. Se não for, você terá que começar a economizar, cortando gastos onde for possível.

Tenha em mente que, de modo geral, as instituições financeiras que concedem o crédito imobiliário limitam o valor das parcelas de financiamento em 30% da renda bruta familiar. Porém, se a sua renda atual esta sendo toda consumida, essa limitação será insuficiente para garantir que você conseguirá assumir o compromisso com as parcelas do financiamento.

Outro ponto que você deve considerar é o quanto você tem em economias. Quanto mais dinheiro você tiver em mãos, melhores serão as condições de negociação e menores serão as parcelas do financiamento.

Lembre-se dos extras

No momento em que estiver fazendo a análise financeira, não se esqueça de que uma transação imobiliária inclui despesas extras com cartórios e pagamento de impostos. Portanto, prepare-se para elas.

Ao mesmo tempo, lembre-se das despesas com mudança, a compra de novos móveis e outros gastos que trocar imóvel sempre gera.

Defina o novo imóvel

No momento em que você tiver completa certeza sobre a sua atual situação financeira, é chegada a hora de definir como deverá ser o novo imóvel. Nesse momento, é essencial que o casal tome decisões conjuntas, o que equilibrará a escolha e também dará maior segurança no atendimento às demandas da família.

De fato, é essencial que o novo imóvel seja maior do que o antigo. Afinal, a família maior exigirá mais cômodos e ambientes mais espaçosos para viver com conforto. Porém, é indispensável conciliar o tipo do imóvel com a sua real situação financeira. Caso contrário, você terá que fazer sacrifícios excessivos e correrá o risco da inadimplência.

Se a situação financeira for confortável e você estiver projetando novos filhos além do que está para chegar, convém pensar na compra de um imóvel que tenha um espaço maior do que aquele que você realmente necessita no momento.

É claro que essa alternativa exigirá mais dinheiro, mas, em compensação, você poderá adquirir um imóvel que servirá à sua família por um longo tempo e que acrescentará maior valor ao seu patrimônio.

Faça uma boa pesquisa

Quando o imóvel estiver definido, você deverá fazer uma boa pesquisa pela internet, procurando por aqueles que sejam adequados para atender às suas necessidades e estejam de acordo com as suas condições de pagamento.

Porém, é importante destacar que a internet é útil para selecionar os imóveis, mas não substitui as visitas pessoais que você deve fazer a cada imóvel que for do seu interesse.

Na hora da pesquisa, também é interessante buscar a assessoria de uma boa imobiliária. Vale lembrar que os corretores mantêm uma extensa carteira de imóveis entre os quais pode estar aquele que seja ideal para a sua demanda.

Além disso, a imobiliária prestará assessoria em todas as etapas da negociação, o que ajuda bastante na hora de trocar imóvel.

Alugar ou vender?

Depois de cumprir todas as etapas anteriores, você deverá decidir o que fazer com o seu atual imóvel. Ele poderá ser vendido, permitindo que você se capitalize e pague a nova aquisição com maior tranquilidade, ou ainda poderá entrar na negociação do novo imóvel como parte de pagamento.

Se você não depender da negociação do seu atual imóvel, uma boa alternativa será mantê-lo. Assim, você aumentará a solidez do seu patrimônio e terá uma renda extra que, inclusive, poderá ajudar no pagamento da prestação do financiamento ou do consórcio.

Agora que você já sabe o que fazer para trocar imóvel, que tal acompanhar as oportunidades do mercado imobiliário? Siga-nos no FacebookLinkedInInstagram e no YouTube para não perder nenhum conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *