Vistoria de imóveis: saiba como fazer

Tempo de leitura: 7 minutos

Sabemos que, quando alguém compra ou aluga um imóvel — seja ele novo ou usado —, é preciso ter certeza de que tudo está em ordem. Caso contrário, deve-se detectar os problemas existentes e fazer a solicitação dos reparos aos responsáveis.

E é justamente por isso que a vistoria de imóveis é um cuidado indispensável em qualquer negociação. Quer saber como fazê-la criteriosamente? Continue a leitura e veja as dicas que listamos para você!

Quando vistoriar

A grosso modo, a vistoria é uma condição para a entrega do imóvel novo pela construtora, e o comprador deve fazê-la antes de assinar o recebimento.

Nessa hora, ele toma como referência o que diz o Memorial Descritivo, que é o documento registrado pela construtora no Cartório de Registro de Imóveis, e que contém todas as informações sobre os materiais utilizados na construção e no acabamento da edificação.

Acompanhando o memorial, o comprador deve verificar item por item, a fim de certificar se tudo está de acordo com o que foi prometido no contrato de compra e venda. Quando alguém compra um imóvel usado, contudo, a vistoria também deve ser feita.

Nesse caso, aliás, como se trata de um imóvel com algum tempo de uso, vale apena ter critério ainda maior, uma vez que podem existir defeitos capazes de interferir no valor do bem ou mesmo de tornar a negociação inviável.

No caso de imóveis alugados, a vistoria tem uma conotação própria, uma vez que gera um laudo que passa a fazer parte do contrato de locação. Assim, quando for devolvido pelo locatário ao locador, o imóvel deve estar nas mesmas condições em que se encontrava quando foi alugado.

Para verificar se o uso do imóvel está de acordo com o contratado e se não há problemas que exigem intervenção, o locador também pode solicitar ao locatário acesso ao imóvel para fazer vistorias periódicas, durante o período de vigência do contrato.

Use uma planilha

Como você viu, os imóveis novos são acompanhados de um memorial descritivo, que serve como um roteiro a ser seguido pelo vistoriador. Contudo, nem sempre esse documento existe em imóveis usados — o que pede que, em substituição, seja feita uma planilha em que sejam anotados todos os itens da verificação.

À direita de cada item, é importante colocar uma coluna na qual será assinalada a situação regular ou irregular apresentada na verificação. Pode ser utilizada a letra “V”, para assinalar que está tudo bem, e um “X”, para marcar o que estiver com problema.

Além disso, outra coluna deve ser reservada como campo de observação, onde será anotado o tipo de problema apresentado. Esse expediente facilita bastante a vistoria e também a solicitação de providências de reparo.

Ao final, todos os problemas que pedem consertos estarão identificados — inclusive com detalhamento do defeito.

O que verificar em uma vistoria de imóveis

Efetivamente, todos os aspectos do imóvel precisam ser vistos. E, se ele estiver em um edifício, também é preciso vistoriar as áreas de uso coletivo, uma vez que comprar um imóvel em um condomínio significa assumir uma parcela de todas as responsabilidades sobre as partes comuns.

Para facilitar, vejamos agora o que precisa ser visto.

1. Pintura e revestimento de tetos, de pisos e de paredes

Em todos os cômodos, observe cuidadosamente o estado da pintura ou dos revestimentos frios, buscando manchas e outros sinais nos tetos e nas paredes.

Além do aspecto estético — que deve ser valorizado —, defeitos na pintura ou nos revestimentos podem sinalizar problemas mais graves, como infiltrações, por exemplo. E o mesmo vale para os pisos em todos os cômodos.

Nesse caso, observe também a situação de alinhamento do revestimento. Nas áreas molhadas, jogue água para comprovar se não há a formação de poças. E preste atenção na existência de rachaduras, que podem representar problemas estruturais na construção.

2. Instalação hidráulica

Verifique se todas as torneiras estão funcionando perfeitamente e se não há vazamentos ou gotejamentos. Dê descarga nos vasos sanitários e observe se a água escoa livremente, e faça o mesmo com chuveiros e áreas onde existam ralos, observando se não há entupimentos.

Em casas e apartamentos de cobertura, com área privativa ou outros imóveis com áreas abertas, é importante verificar se os ralos externos não estão entupidos por folhagens. E, especialmente em imóveis residenciais, nãos se esqueça de verificar as condições das instalações das máquinas de lavar roupas e de lavar louças.

3. Instalação elétrica

Em imóveis novos, que ainda não possuem luminárias e chuveiros instalados, é recomendável que a verificação das instalações elétricas seja feito por pessoa capacitada, uma vez que implica no risco de choques elétricos.

Nos imóveis que já possuem equipamentos instalados, basta acioná-los para confirmar que o funcionamento está perfeito. O teste das tomadas pode ser realizado utilizando uma luminária ou uma chave testa fase. E não se esqueça de testar todos os pontos, se o imóvel tiver iluminação externa.

4. Portas e janelas

Observe se as portas e as janelas estão fechando e abrindo perfeitamente, e se as fechaduras estão em pleno funcionamento, trancando e destrancando com facilidade. Verifique também se as dobradiças não apresentam folgas.

Nas portas e janelas de correr, observe se elas estão livres. E não se esqueça de verificar se não há nada quebrado nas áreas envidraçadas.

5. Equipamentos

Os equipamentos entregues com o imóvel — como ar-condicionado ou itens de segurança, por exemplo — também devem ser testados. Naturalmente, suas condições precisam estar de acordo com o que foi estabelecido na negociação. Se houver defeito, ele deve ser anunciado pelo vendedor ou locador.

6. Imóveis ajardinados

Observe se as plantas estão em boas condições. Se houver sistema de irrigação, verifique se o funcionamento é apropriado e se não há ruídos estranhos na bomba.

7. Piscina, sauna e outros equipamentos de lazer

Nas áreas de lazer, observe também se tudo está funcionando perfeitamente e se as chaves de acionamento não apresentam defeito. Nas piscinas, preste atenção na existência de trincas ou de defeitos no revestimento. Problemas com fungos também devem ser observados nas saunas.

8. Áreas comuns

O mesmo tipo de atenção deve ser direcionado para os itens existentes nas áreas comuns de condomínios. Verifique se as portarias e interfones funcionam perfeitamente e se não há problemas construtivos aparentes.

Em prédios com elevadores, preste atenção se não existem ruídos estranhos. Caso existam, verifique também o estado do salão de festa, da garagem, dos brinquedos do playground, de quadras esportivas e de espaços gourmets, entre outros.

Por fim, como, em edifícios, existem aspectos que não são acessíveis com facilidade — como o telhado do prédio, por exemplo —, convém conversar com o síndico e com o pessoal de serviço a fim de conferir se tudo está em perfeita ordem no condomínio.

Gostou do post? Restou alguma dúvida sobre o assunto ou deseja dar a sua opinião sobre a vistoria de imóveis? Deixe seu comentário aqui no post! Queremos saber o que você está pensando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *